Páginas

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

História de flor...

http://www.ideotario.com/blog2008_flor14.jpg


Furto de flor


Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do edifício cochilava, e eu furtei a flor.


Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com água. Logo senti que ela não estava feliz. O copo destina-se a beber, e flor não é para ser bebida. Passei-a para o vaso, e notei que ela me agradecia, revelando melhor sua delicada composição. Quantas novidades há numa flor, se a contemplarmos bem.

Sendo autor do furto, eu assumira a obrigação de conservá-la. Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia. Temi por sua vida. Não adiantava restituí-la ao jardim, nem apelar para o médico de flores. Eu a furtara, eu a via morrer.

Já murcha, e com a cor particular da morte, peguei-a docemente e fui depositá-la no jardim onde desabrochara. O porteiro estava atento e repreendeu-me:

- Que idéia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste jardim!

Carlos Drummond de Andrade, Contos plausíveis (s/ data)

7 comentários:

  1. Drummond é Drummond, né?
    Adorei!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. gente eu entrei pq minha professora nao deixou levar para a casa e eo drummond e tio avo dela ai eu nao terminei na sala e vim parar aqui pra terminar o texto e fique surpresa de como termina,e lindo demais!

    ResponderExcluir
  3. adoreiiiii graças a vc consegui acabar minha materia valeu!!!

    ResponderExcluir
  4. adoreiiiii graças a vc consegui acabar minha materia valeu!!!

    ResponderExcluir

Deixe seu carinho...